Curioso

assistir

Veja cinco motivos que te levam a assistir (ou continuar assistindo) “Todo Mundo Odeia o Chris”. O seriado americano que é o novo “Chaves” da era moderna. Isso por que, fazem sucesso até hoje mesmo exibindo episódios reprisados.

“Todo Mundo Odeia o Chris” foi exibido foi exibido nos Estados Unidos entre 2005 e 2009, e a cada dia ganha mais fãs no mundo inteiro. No Brasil é exibido pela emissora Record, e mesmo repetindo os episódios, o seriado norte-americano tem audiência garantida. Confira os 5 motivos que levam a pessoas a amar essa família.

1 – É baseada na vida do ator e comediante Chris Rock

As histórias da série “Todo Mundo Odeia o Chris” não são totalmente fictícias: são inspiradas e baseadas na vida e nas experiências pessoais do ator e comediante Chris Rock, que cresceu em Bed-Stuy, distrito de Brooklyn, um dos bairros mais populosos de Nova York. O pai do menino no seriado é Julius, nome verdadeiro do pai de Chris Rock, e a personagem Tonya, irmã do pequeno Chris, foi baseada em Tony Rock, irmão do ator. Já a mãe de Chris, Rosalie, chama-se Rochelle na série, e na vida real ele tem sete irmãos, e não apenas três como no seriado. Além de ter várias histórias reais retratadas, Chris Rock foi criador, produtor, narrador e ator da série.

 

2 – As críticas sociais

Julius (Terry Crews), pai da família Rock, trabalha em dois empregos para sustentar a família. Eles vivem uma vida com orçamento apertado, mas os pais fazem questão de que os filhos estudem em boas escolas. Isso faz com que o pequeno Chris (Tyler James Williams) demore duas horas todos os dias para ir ao colégio Corleone Junior High, onde é o único aluno negro. Chris sofre racismo ebullying frequentemente, especialmente pela Prof.ª Morello (Jacqueline Mazarella) e pelo colega Joey Caruso (Travis T. Flory). “Todo Mundo Odeia o Chris” foi eleita pelo American Film Institutecomo uma das 10 melhores séries de 2007 por “mostrar fielmente como é crescer nos Estados Unidos – um desafio que pede que seja discutida a relação de raças e classes, algo comumente ignorado na televisão”.

 

3 – A família Rock

Um irmão que sempre consegue se livrar de enrascadas e conquistar o coração das meninas (Drew Rock, vivido por Tequan Richmond), uma irmã mimada que é capaz de se livrar de tudo que apronta com muita gritaria e choradeira (Tonya Rock, vivida por Imani Hakim), uma mãe muito rígida e que grita o tempo todo e um pai que economiza até nas menores coisas e sempre dá conselhos e lições de moral. Soa familiar? Muitos dos personagens da família de Chris podem remeter à própria família do telespectador, e talvez por isso muitos se identifiquem tanto com a série. As broncas e os conselhos da mãe Rochelle (Tichina Arnold) acabaram virando até página no facebook (Conselhos de Rochelle), que tem mais de 730 mil likes.

 

4 – O colégio Corleone Junior High School

Vida de estudante não é fácil. Outro núcleo da série que pode remeter à vida dos telespectadores é o colégio Corleone Junior High School. Nele, Chris sofre com o bullying de alguns colegas maldosos, como Joey Caruso, tem professores implicantes, sofre para conseguir passar de ano… Mas conta com o apoio e cumplicidade de seu melhor amigo, Greg Wuliger (Vincent Martella).

 

5 – O narrador

Chris Rock é o narrador em “Todo Mundo Odeia o Chris”. Ele introduz as histórias, faz comentários sarcásticos e engraçados sobre como reagiu às situações e como as pessoas lidaram com ele e tenta buscar um sentido em tudo que aconteceu. Uma das posturas recorrentes do narrador é a de dizer que se sentia de uma maneira, mas acabou agindo de outra. Certamente uma postura que muitas pessoas sentem em seu dia-a-dia, e acabam usando seu “narrador pessoal”, seu pensamento, para fazer piadas ou refletir sobre os problemas da vida.

fonte: Yahoo!

Continue Lendo

O jeca mais descarado e sem vergonha da internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *